Jovem congolesa canta e encanta no The Voice Brasil

Isabel Antônio é uma das talentosas pessoas em situação de refúgio no Brasil. Nascida na República Democrática do Congo, ela descobriu o potencial de sua voz aqui no país e segue confiante para as etapas finais do programa.

BRASÍLIA, 20 de novembro de 2017 (ACNUR) – Forçada a deixar a República Democrática do Congo (RDC) com sua família em 2015 devido à guerra, Isabel Antonio nunca imaginou que seria a primeira solicitante de refúgio no país a fazer parte de um dos maiores shows de talentos musicais do mundo. Atualmente, ela disputa as etapas finais do The Voice Brasil com o apoio de seu técnico Carlinhos Brown.

Quem acompanha o programa, exibido pela Rede Globo, reconhece o potencial de Isabel. Com sua voz doce, ela encantou e conectou a todos com sua história. Na última apresentação, Isabel mais uma vez marcou presença ao cantar “Heal the World”, de Michael Jackson. Segundo ela, essa música representa paz, uma mensagem de um mundo melhor, uma possibilidade de pôr fim aos conflitos, preconceitos e males do planeta. 

Em 2015, Isabel, ao lado de sua irmã mais nova, foi forçada a abandonar seu país de origem, a RDC, por causa da violência, perdendo-se de seus pais na trajetória. Com a ajuda de missionárias que estavam no país, ela e sua irmã chegaram a São Paulo. Os pais foram localizados e finalmente a família esteve completa novamente.

Devido aos conflitos que a RDC enfrenta, Isabel diz querer voltar ao seu país apenas como turista. De acordo com o mais recente relatório do ACNUR, Global Trends 2016, já são mais de 495 mil refugiados congoleses que se concentram apenas na região, em países como Uganda, Ruanda, Tanzânia, Burundi e Quênia,

Foi no Brasil que o potencial e talento musical floresceram. No abrigo em que vivia em São Paulo, Isabel costumava conversar com suas amigas sobre cantores quando então conheceu o coral "Somos Iguais". O coral, apoiado pelo ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados, foi idealizado por Daniela Guimarães e é coordenado por ela e pelo diretor musical Ney Marques com o apadrinhamento do maestro João Carlos Martins.

A participação de Isabel no coral foi essencial para que ela fosse aceita no The Voice Brasil. O projeto ficou conhecido em 2016 quando as crianças se apresentaram para o Especial de Natal do Programa Fantástico, também da Rede Globo. Depois disso, cinco crianças foram selecionadas para realizar um teste para o The Voice Brasil e, ao final, Isabel foi a única selecionada.