ACNUR > Informação geral > Prêmio Nansen

Prêmio Nansen

© ACNUR

Conhecido anteriormente por Medalha Nansen, o Prêmio recebeu esse nome em homenagem a Fridtjof  Nansen, explorador polar norueguês, que foi o primeiro Alto Comissário para os Refugiados da antiga Sociedade das Nações e que recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1922. 

Instituído em 1954, o Prêmio Nansen é concedido anualmente a um indivíduo ou uma organização em decorrência do reconhecimento pelos serviços dedicados aos refugiados. É o prêmio mais importante concedido pelo ACNUR. O Prêmio consiste de medalha comemorativa e de 100 mil dólares doados pelos governos da Noruega e Suíça. O objetivo do Prêmio Nansen é chamar atenção para o sofrimento dos refugiados e incentivar a assistência e cooperação internacional nesta área.

Qualquer pessoa poderá sugerir alguém ou alguma organização para concorrer ao Prêmio Nansen. A escolha, no entanto, é feita por um comitê especial que selecionará o vencedor. Foram escolhidos representantes das mais diversas áreas. Independente do credo, cor da pele, idade ou profissão, o vencedor dedica  tempo e esforço extraordinários em favor dos que estão deslocados à força por todo o mundo. Desde que Eleanor Roosevelt tornou-se a primeira vencedora em 1954, mais de 60 pessoas, grupos ou organizações têm recebido o Prêmio Nansen.

NRC / A. Ackerman
Irmã Angélique ouve uma jovem deslocada. Muitas das mulheres sob seus cuidados são sobreviventes de estupro que, estigmatizadas, foram afastadas por suas famílias e comunidades.

Prêmio Nansen para os Refugiados 2013 foi atribuído a Irmã Angélique Namaika, uma freira congolesa que atua na região nordeste da República Democrática do Congo (RDC) ajudando milhares de mulheres vítimas da brutal violência sexual e de gênero praticada pelo Exército de Resistência do Senhor (LRA, em inglês) e outros grupos.

À frente do Centro para Reintegração e Desenvolvimento, a Irmã Angélique Namaika já ajudou a transformar a vida de mais de duas mil mulheres e meninas que foram forçadas a deixar suas casas e sofreram abusos, principalmente pelo grupo rebelde LRA. Muitas destas mulheres trazem histórias de sequestro, trabalho forçado, espancamento, assassinato, estupro e outras violações de direitos humanos.

Estima-se que aproximadamente 350 mil pessoas tenham sido forçadas a deixas suas casas na região de Dungu – e 70% delas devido a atividades relacionadas com o LRA ou com ameaça de ataques. A brutalidade do LRA é bastante conhecida, e depoimentos de mulheres mostram a terrível natureza de seu abuso. A abordagem individual adotada pela Irmã Angélique no seu trabalho ajuda as vítimas a se recuperarem de seus traumas. Além do abuso que sofreram, essas mulheres e crianças vulneráveis são frequentemente condenadas ao ostracismo por suas próprias famílias e comunidades. É necessário um tipo especial cuidado e carinho para ajudá-las a curar suas feridas reconstruir suas vidas despedaçadas.

Últimas Notícias do ACNUR RSS Feed Últimas Notícias do ACNUR

Irmã Angélique Namaika

A Irmã Angélique Namaika é a ganhadora do Prêmio Nansen para Refugiados 2013. 

Galeria fotográfica

Tolerante e incansável, esta freira católica é uma inspiração não apenas para a população congolesa, mas também para o ACNUR e a comunidade internacional.

Prêmio Nansen para os Refugiados 2013: Irmã Angélique Namaike

Fridtjof Nansen

Conheça mais sobre o primeiro Alto Comissário para os Refugiados designado pela Sociedade das Nações em 1921.

 

Sobre o Prêmio Nansen

Poucos reconhecimentos de honra humanitária possuem o rico legado do Prêmio Nansen do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, o ACNUR. 

A Irmã Angélique Namaika receberá o Prêmio Nansen de Refugiados e a Medalha Nansen no próximo dia 30 de setembro, em uma cerimônia em Genebra. O evento terá discurso do premiado escritor brasileiro Paulo Coelho, e apresentações da cantora e compositora inglesa Dido, da cantora e compositora malaia Yuna e dos músicos malineses Amadou and Mariam, indicados ao Grammy. Após a cerimônia, Irmã Angélique viajará a Roma, onde sera recebida no Vaticano pelo Papa Francisco no dia 2 de outubro, antes de seguir para Paris, Bruxelas e Oslo para outros encontros. A cerimônia de entrega é o momento de mais visibilidade do programa do Prêmio Nansen. Ela funciona como plataforma de advocacy que permite ao ACNUR e seus parceiros a mobilizar atenção e apoio para a causa do refúgio. 

Título