Refugiados ganham bicicletas e pedalam em Brasília para celebrar integração e solidariedade

segunda 04. junho 2012 16:00 Tempo: 3 yrs

© ACNUR/ L.F.Godinho
Com a Catedral de Brasília ao fundo e usando a camiseta promocional do ACNUR, refugiados participam de passeio ciclístico que celebrou antecipadamente o Dia Mundial do Refugiado.

BRASÍLIA, 04 de junho de 2012 (ACNUR) – Domingo de sol, calor, bicicletada e a oportunidade de conhecer pontos turísticos de Brasília. Assim foi o dia de ontem para os 30 refugiados que participaram do 10º Passeio Ciclístico Rodas da Paz, realizado em Brasília.

Refugiados de Bangladesh, Colômbia, Paquistão e República Democrática do Congo que vivem no Distrito Federal (DF) participaram do passeio, que celebrou antecipadamente o Dia Mundial do Refugiado.

Todos foram presenteados com bicicletas doadas pela ONG Rodas da Paz, promotora do evento, e tiveram a oportunidade de interagir com as três mil pessoas que participaram do passeio. Os refugiados e muitos dos participantes utilizaram camisetas alusivas ao Dia Mundial do Refugiado e à campanha do ACNUR para promover a data.

O passeio teve apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e do Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH), responsável pelo atendimento a refugiados e solicitantes de refúgio no DF, na região Cento-Oeste e nos Estados de Rondônia e Acre.

Do Museu Nacional, na Esplanada dos Ministérios, os ciclistas passaram pela Catedral de Brasília, pelo Congresso Nacional e pelos Palácios do Itamaraty, da Justiça e do Planalto até chegar à ponte JK. O passeio percorreu 15 quilômetros e terminou de volta na Praça das Bicicletas, entre o Museu Nacional e a Biblioteca Nacional.

“É a primeira vez em 15 anos que subo numa bicicleta. Fiquei surpreso de ter conseguido completar o trajeto”, disse o refugiado paquistanês Ahmad Raza, que de cima da bicicleta viu Brasília por uma perspectiva totalmente nova. “O passeio foi uma grande oportunidade de conversar com outros refugiados, com brasileiros e de conviver de um jeito diferente com a comunidade que nos acolheu”, completou ele.

“Sair da rotina foi maravilhoso. Gostei muito de praticar esporte e conversar com as pessoas que não conhecia ”, disse a colombiana Y.B.G.*. O paquistanês Alam Gir concorda, “estamos longe da família e dos amigos. Oportunidades assim mostram que podemos fazer coisas diferentes além de trabalhar e ficar em casa”.

© ACNUR/ L.F.Godinho
Durante todo o passeio, um carro de som da ONG Rodas da Paz transmitiu mensagens explicativas sobre o refúgio e sobre os direitos dos refugiados no Brasil e em todo o mundo. “A parceria com esta ONG possibilitou realizar uma festa especial este ano, celebrando a solidariedade humana e promovendo um bonito momento de integração entre todos os participantes”, disse Andrés Ramirez, representante do ACNUR no Brasil.

Para a ONG Rodas da Paz, esta edição do passeio ciclístico foi uma comemoração tripla. “Foi muito significativo termos a participação dos refugiados e a doação das bicicletas. Também comemoramos os 10 anos da ONG e a saída de um pelotão de ciclistas que vai pedalar 12 dias rumo à Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20”, completou.  

No clima da sustentabilidade, o paquistanês Alam Gir já sabe como usar sua bicicleta nova. “Vou poder ir ao mercado e a lugares próximos de casa. É um meio de transporte que não agride o meio ambiente, além de ser uma alternativa de lazer”, disse ele.

O passeio em Brasília antecipou a celebração do Dia Mundial do Refugiado 2012 no Brasil, que contará ainda com eventos em São Paulo, Manaus, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. No país vivem cerca de 4.500 refugiados, de mais de 70 nacionalidades diferentes. No Distrito Federal, esta população totaliza cerca de 190 pessoas, entre refugiados e solicitantes de refúgio.

No Dia Mundial do Refugiado, o ACNUR e seus parceiros prestam uma homenagem à coragem, força e determinação de mulheres, homens e crianças que tiveram que deixar seus países devido às perseguições, conflitos, violência e violação dos seus direitos mais básicos. A data é celebrada em todo o mundo no dia 20 de junho. Mas neste ano, no Brasil, as comemorações ocorrerão em momentos diferentes devido à inauguração da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), marcada para esta mesma data.

Em várias capitais da América Latina, os passeios ciclísticos serão uma constante nas comemorações do Dia Mundial do Refugiado. Atividades como a de Brasília acontecerão também em Quito (Equador), San José (Costa Rica), Cidade do México e Buenos Aires (Argentina), no dia 17 de junho, sempre em parceria com organizações locais que incentivam o uso da bicicleta e de meios de transporte sustentáveis.

 * A identidade foi preservada por motivos de segurança

Por Karin Fusaro, de Brasilia

Por: ACNUR


Comentarios



Pesquisa de notícias

Título