Sri Lanka: Aumenta número de refugiados retornados

terça 17. agosto 2010 12:00 Tempo: 4 yrs

© ACNUR/ B.Baloch
Refugiados retornam da Índia ao lar no Sri Lanka, em Trincomalee, leste do país.

COLOMBO, Sri Lanka, 10 de agosto (ACNUR) – O número de refugiados retornando da Índia ao Sri Lanka, com a ajuda do ACNUR, no primeiro semestre de 2010 já ultrapassou o número de todo o ano de 2009. Espera-se que essa tendência continue.

“O número de retornos não é atualmente elevado, mas é significativo constatar que já superaram todo o número de 2009. Podemos esperar que mais refugiados comecem a considerar o retorno para casa, reconectando-se com suas famílias e reconstruindo suas vidas nesta fase pós-conflito”, disse o representante do ACNUR no Sri Lanka Michael Zwack.

De acordo com dados do governo indiano, aproximadamente 73 mil refugiados do Sri Lanka estão vivendo em 112 campos de refugiados no estado de Tamil Nadu, no sul da Índia, além de 34 mil refugiados fora dos campos.

Estatísticas do ACNUR mostram que nos primeiros seis meses deste ano, 852 refugiados retornaram da Índia com a ajuda do ACNUR, em comparação a um total de 823 refugiados ao longo de todo o ano de 2009. Ainda, mais de mil refugiados regressaram por conta própria – o que o ACNUR chama de retorno ‘espontâneo’ – e procuraram os escritórios do ACNUR no Sri Lanka em busca de assistência. No entanto, nesse mesmo período, pelo menos 386 refugiados chegaram à Índia.

Em maio de 2009, um conflito de três décadas entre forças do governo de Sri Lanka e o grupo rebelde separatista Tigres de Tamil Eelam, conhecidos como LTTE, chegou ao fim. Durante a fase final da guerra houve um deslocamento maciço da população da região norte do país, com aproximadamente 276 mil deslocados internos.

Agora, por outro lado, dezenas de milhares de pessoas internamente deslocadas estão retornando às suas casas no norte do país, e aparentemente alguns refugiados no exterior também estão optando por retornar. A localidade de Menik Farm no Sri Lanka, antes um enorme campo de refugiados que no seu auge chegou a abrigar 228 mil pessoas deslocadas internamente, agora tem uma decrescente população de 35.300 pessoas. O campo continua a encolher em tamanho, com aproximadamente 3.000 pessoas retornando às suas casas a cada semana.

O ACNUR vem trabalhando há 20 anos no Sri Lanka, com foco principalmente nas pessoas deslocadas internamente e na prestação de assistência humanitária. Em muitas ocasiões, geralmente coincidentes com épocas de calmaria no conflito, os refugiados retornaram. Agora, porém, com o conflito encerrado, o ACNUR também está auxiliando no retorno dos refugiados – como parte central de seu papel.

“Eu voltei porque minha mãe que ficou aqui queria o meu retorno” disse ao ACNUR um repatriado em Vavuniya, no norte do país. Ele esteve morando em um dos campos de refugiados em Tamil Nadu por quatro anos com sua jovem família. Pedreiro treinado, ele quer voltar a trabalhar o quanto antes.

Ele disse que estava feliz por estar de volta, acrescentando que havia outros nos campos de refugiados que também queriam voltar para casa.

O ACNUR ajuda os refugiados que regressam fornecendo-lhes produtos não alimentares, como mosquiteiros, colchões, roupas, utensílios de cozinha, baldes e lanternas, em seus escritórios em Vavuniya, Mannar, Jaffna e Trincomalee.

O ACNUR tem acesso aos refugiados do Sri Lanka na Índia, mas não trabalha nos campos de refugiados do Sri Lanka em Tamil Nadu. Tais campos foram estabelecidos pelo governo indiano e são diretamente gerenciados pelas autoridades locais. Refugiados do Sri Lanka que desejam voltar ao país natal podem procurar o escritório do ACNUR em Chennai para auxílio.

Outros refugiados vivem fora dos campos de refugiados na Índia, como uma repatriada de 39 anos que se dirigiu ao escritório do ACNUR em Vavuniya para obter assistência. Preferindo o anonimato, ela disse ao ACNUR que foi do campo de Menik Farm para a Índia em agosto de 2009, após perder seu marido durante o deslocamento maciço na fase final da guerra. Sem conseguir encontrá-lo, ela se foi com outros parentes para a Índia, levando consigo seus dois filhos pequenos.

“Primeiro foi a situação de paz que fez com que eu decidisse voltar. Também, porque minha tia disse que estava aqui e que poderia ajudar a tomar conta da família. Então eu voltei”, disse ela.

“Isso é melhor do que estar na Índia” ela disse, abrindo um sorriso por estar em casa, acrescentando que outras famílias nativas do Sri Lanka que ela conheceu na Índia morando fora de campos de refugiados também pensavam sobre voltar.

A maioria dos refugiados volta da Índia por via aérea, quando são recebidos pela equipe do ACNUR e ajudados com transporte para suas respectivas regiões de origem. Aqueles que retornam espontaneamente também continuam a chegar por conta própria, por ar ou por meio de barcos irregulares.

No geral, existem 146 mil e 98 refugiados do Sri Lanka em 64 países, sendo que a maioria está na Índia. Os refugiados do Sri Lanka em outros países também estão começando a demonstrar interesse perante os escritórios do ACNUR em retornarem para casa voluntariamente.

Jennifer Pagonis de Colombo, Sri Lanka

Por: ACNUR


Comentarios



Pesquisa de notícias

Título