ACNUR inaugura exposição sobre refugiados no Espaço Cultural Correios Niterói

O público é convidado a conhecer mais sobre a realidade do deslocamento forçado no Brasil e no mundo.

Niterói, 12 de novembro de 2018 (ACNUR) –  Na próxima quinta-feira, 15 de novembro, o ACNUR, Agência da ONU para Refugiados, inaugura no Espaço Cultural Correios Niterói a exposição fotográfica “Faces do Refúgio”, composta por 52 fotografias feitas pelo ACNUR em diferentes partes do mundo.

O público conhecerá as principais crises de deslocamento forçado da atualidade causadas por conflitos em países como Síria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e Mianmar, além de histórias de resiliência de crianças, homens e mulheres que enfrentaram graves violações de direitos humanos e buscam uma oportunidade de reconstruir suas vidas. A curadoria da exposição foi realizada pelo ACNUR em conjunto com o Atelier Vanessa Poitena.

“Os refugiados são como eu e você. A grande diferença é que essas pessoas se veem, do dia para a noite, obrigadas a deixar tudo para trás para garantir suas vidas e seus direitos. O refúgio não é uma escolha. Pessoas deixam tudo para trás para salvar suas vidas”, destaca Natasha Alexander, chefe da unidade de parcerias com o setor privado. “A exposição é uma ferramenta de conscientização para que as pessoas conheçam um pouco mais sobre essa realidade”, completa.

Dados do ACNUR indicam que mais de 68 milhões de pessoas no mundo encontram-se fora dos seus locais de origem devido a guerras, conflitos e perseguições. O relatório “Tendências Globais”, é lançado anualmente e reúne dados coletados pelo ACNUR sobre o deslocamento forçado no mundo.

De acordo com dados do CONARE (Comitê Nacional para os Refugiados), o Brasil reconheceu até o final de 2017 um total de 10.145 refugiados de diversas nacionalidades. Destes, 5.134 continuam no país na condição de refugiado, sendo que 52% moram em São Paulo, 17% no Rio de Janeiro e 8% no Paraná. Os sírios representam 35% da população refugiada com registro ativo no Brasil. Os demais, que não mantêm a condição de refugiado, podem ter retornado voluntariamente ao seu país de origem por ter recuperado a proteção que antes lhes faltava, ou ainda ter se naturalizados brasileiros, solução duradoura de proteção e integração de um refugiado à sociedade brasileira.

 

Com entrada gratuita, a exposição estará no Espaço Cultural Correios Niterói até 21 de janeiro de 2019.

 Clique aqui para fazer o download das fotos de divulgação da exposição.

 

Serviço:

Exposição “Faces do Refúgio”

Data: de 15 de novembro de 2018 a 21 de janeiro de 2019 no Espaço Cultural Correios Niterói, Av. Visconde do Rio Branco, 481 – Centro, Niterói – RJ

Horário de funcionamento: De segunda a sábado (das 11h  às 18h) – exceto feriados

Classificação indicativa: Livre.

Entrada franca.

Contatos de imprensa:

Thereza Jatoba, [email protected], (11) 94018-0719