Músicos latino-americanos Danny Ocean e Gian Marco unem forças em show para Dia Mundial do Refugiado

O show de Danny Ocean e Gian Marco será apresentado por Alfonso Herrera. © Centro John F. Kennedy para Artes Artes

WASHINGTON, DC, Estados Unidos – Este ano, Danny Ocean, artista venezuelano reconhecido mundialmente, e a sensação peruana Gian Marco estão unindo forças para o Dia Mundial do Refugiado. Em um concerto ao vivo, eles vão homenagear a coragem de homens, mulheres e crianças forçados a fugir da violência e perseguição ao redor do mundo nestes tempos difíceis.

O encontro entre Danny Ocean e Gian Marco será transmitido ao vivo globalmente de suas casas através de várias plataformas online para apoiar os refugiados em todo o mundo, inclusive durante a crise de saúde da COVID-19. O evento será apresentado por Alfonso Herrera, um dos atores mais conhecidos da América Latina, e apoiador do ACNUR.

O Concerto do Dia Mundial do Refugiado é uma colaboração especial entre o ACNUR, a Agência ONU para Refugiados, e o Centro John F. Kennedy para as Artes Cênicas em Washington DC, e estreará na sexta-feira, 19 de junho, às 17h de Brasília.

Danny Ocean é apoiador do ACNUR e luta por mais apoio para os refugiados venezuelanos que fogem da agitação política e socioeconômica, e para as pessoas que fogem da brutal violência de gangues na América Central, com quem ele teve a oportunidade de se encontrar em uma recente viagem com ACNUR para a região.

“Eu experimentei como é difícil deixar para trás tudo o que você sabe para construir uma nova vida em outro lugar”, disse Danny Ocean, que alcançou a fama mundial com seu sucesso Me Rehuso. No hit, ele canta sobre o amor que deixou para trás depois de sair da sua terra natal, a Venezuela, para começar uma nova vida nos Estados Unidos. “Com a ameaça da COVID-19, as famílias refugiadas agora enfrentam não só a incerteza de viver no exílio, mas também experimentam mais medo e dificuldades. Elas precisam do nosso apoio”.

Três vezes vencedor do Grammy Latino e Embaixador da Boa Vontade do UNICEF no Peru, Gian Marco vem defendendo o bem-estar das crianças afetadas por crises humanitárias há mais de uma década em seu país.

Gian Marco disse: “O Peru recebe muitas famílias venezuelanas em dificuldade. Estou participando deste show virtual do Dia Mundial do Refugiado para expressar minha solidariedade com estas pessoas e com os refugiados ao redor do mundo”.

Em uma visita para a região com ACNUR, Alfonso Herrera reuniu-se com crianças, adolescentes, mulheres e membros da comunidade LGBTI vítimas da violência e criminalidade de gangues em El Salvador e Honduras.

Nos últimos anos, o deslocamento forçado tem crescido exponencialmente na América Latina. Mais de 5 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos vivem atualmente fora de seu país. Eles fogem da violência, insegurança e ameaças, bem como da escassez de alimentos, medicamentos e serviços essenciais, resultando em um dos maiores êxodos do mundo.

O número de pessoas que foge dos ciclos de extorsão, ameaças de morte, assassinatos e violência sexual no Norte da América Central também aumentou nos últimos anos devido à escalada da criminalidade e da violência causada por cartéis e gangues. Globalmente, o número de pessoas forçadas a fugir de suas casas continua subindo.

Como assistir:

Sobre o Dia Mundial do Refugiado

Comemorado todos os anos no dia 20 de junho, o Dia Mundial do Refugiado é uma data para comemorar a força, a coragem e a perseverança de milhões de refugiados. Celebrado pela primeira vez em 2001, o Dia Mundial do Refugiado visa aproximar o público das histórias dos refugiados, mostrando-os como pessoas comuns que vivem em circunstâncias extraordinárias. Da África até a América, o ACNUR e a comunidade global se unem para honrar a coragem e a determinação de crianças, mulheres e homens forçados a fugir de suas casas.

Sobre o ACNUR

O ACNUR, a Agência ONU para Refugiados, lidera as ações internacionais para proteger as pessoas forçadas a fugir de suas casas por causa de conflitos e perseguições. Oferecemos assistência que salva vidas, como abrigo, comida e água. Ajudamos a salvaguardar os direitos humanos fundamentais e desenvolvemos soluções que garantem às pessoas um lugar seguro para chamar de lar, onde elas podem construir um futuro melhor. Também trabalhamos para garantir que as pessoas apátridas tenham uma nacionalidade.

O ACNUR está tomando medidas para ajudar a responder à emergência de saúde pública da COVID-19 e prevenir o seu contágio. Trabalhando em conjunto com os governos, o ACNUR garante que os refugiados sejam incluídos nos planos nacionais de saúde, estejam bem informados sobre como evitar a disseminação da COVID-19, tenham acesso a sabão e água limpa, e continuem recebendo a ajuda e assistência que necessitam para proteger suas vidas.

Para entrevistas com Danny Ocean e Gian Marco, por favor contatar:

Contatos do ACNUR para a imprensa:

Contato do Kennedy Center para a imprensa: