“Todos podem fazer a diferença: cada ação é importante”

Declaração do Alto Comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi

Depois de fazer um curso virtual de fabricação de sabão, a refugiada síria Midia Said Sido fez sabão em casa para seus filhos e outros refugiados em sua comunidade no sul do Líbano © ACNUR / Houssam Hariri

Este ano, o Dia Mundial do Refugiado é marcado por um cenário de dramática crise global. Não apenas um número recorde de pessoas foi forçado a fugir de suas casas – mas o mundo está lutando contra a COVID-19, uma doença que ainda afeta muito todos nós. O que começou como uma crise de saúde se expandiu e fez com que muitos dos vulneráveis hoje – entre eles refugiados e deslocados – enfrentassem uma pandemia de pobreza.

No entanto, ao longo deste período desafiador, também vimos uma conexão que transcende fronteiras. As pessoas se mobilizaram para ajudar. As comunidades de acolhida – especialmente as de países de baixa e média renda, onde quase 90% dos refugiados do mundo vivem – continuaram a demonstrar uma recepção notável.

E os próprios refugiados também estão contribuindo de maneira significativa, apesar de frequentemente viverem em condições extremamente vulneráveis. Eles são, por exemplo, voluntários como trabalhadores da linha de frente na saúde na Colômbia e no Reino Unido; fazem sabão para distribuição no Líbano e Níger; produzem máscaras e equipamentos de proteção no Irã e Brasil; ajudam a construir centros de isolamento em Bangladesh; e em outras partes do mundo, estão contribuindo com tempo para ajudar, nas comunidades que os acolhem, aqueles que mais precisam.

Enquanto lutamos contra a COVID-19, inspiro-me na resiliência que os refugiados demonstraram em superar sua própria crise de deslocamento e desapropriação, a separação de suas casas e famílias e sua determinação em melhorar a própria vida e a de outras pessoas, apesar dessas e de outras dificuldades.

No Dia Mundial do Refugiado, saúdo e celebro a fortaleza de refugiados e pessoas deslocadas em todo o mundo. Também presto homenagem às comunidades que os abrigam e que demonstraram os valores e princípios universalmente compartilhados de compaixão e humanidade. Às vezes, eles abrigam e protegem refugiados por anos ou até gerações, e continuar a defender esses valores em tempos de pandemia é uma poderosa mensagem de esperança e solidariedade.

Desafios não são novidade para o ACNUR. Por mais de 70 anos, estamos na linha de frente de inúmeras emergências. No entanto, essa pandemia global é de uma magnitude inteiramente nova. Nossa prioridade tem sido e será: permanecer e apoiar os refugiados, pessoas deslocadas internamente e apátridas, que temos o mandato de proteger. Mas não podemos fazer isso sozinhos.

Mobilizar ajuda e apoio para preparar e responder à pandemia tem sido fundamental nos últimos meses. E vimos como países e comunidades em todo o mundo incluíram refugiados em suas próprias respostas nacionais em saúde. Agora é igualmente crítico garantir a inclusão de refugiados e pessoas deslocadas na resposta socioeconômica tão necessária à pandemia de COVID-19.

O Pacto Global sobre Refugiados estabeleceu uma base sólida para essa resposta. Já vimos isso em ação com doadores bilaterais, instituições financeiras internacionais e o setor privado respondendo a essa crise com níveis sem precedentes para apoiar refugiados por meio de governos anfitriões. Esse apoio deve continuar e ser redobrado para que eles tenham os recursos necessários para incluir refugiados e pessoas deslocadas e garantir que as disparidades econômicas e sociais não levem a brechas dentro e entre as comunidades. Também é preciso investir mais nos países de origem para tornar o retorno dos refugiados uma opção viável.

Neste Dia Mundial dos Refugiados, apelo a uma maior solidariedade e ação global para incluir e apoiar refugiados, pessoas deslocadas internamente e apátridas, assim como seus anfitriões.

Quem quer que você seja. Não importa de onde você vem. Cada um de nós pode fazer a diferença.

Toda ação realmente conta.

***

Dia Mundial do Refugiado e Campanha Cada Ação é Importante do ACNUR

A pandemia de COVID-19 e os recentes protestos anti-racismo nos mostraram o quanto precisamos desesperadamente lutar por um mundo mais inclusivo e igualitário. Um mundo onde ninguém é deixado para trás. Nunca foi tão claro que todos nós temos um papel a desempenhar para trazer mudanças.

Todos podem fazer a diferença. Este é o cerne da campanha do Dia Mundial do Refugiado do ACNUR. Este ano, nosso objetivo é lembrar ao mundo que todos, incluindo refugiados, podem contribuir para a sociedade, e toda ação conta nos esforços de criarmos um mundo mais justo, inclusivo e igualitário.

Sobre o ACNUR 

A Agência da ONU para Refugiados lidera ações internacionais para proteger as pessoas forçadas a fugir de suas casas por causa de conflitos e perseguições. Prestamos assistência que salvam vidas, com abrigo, comida e água. Ajudamos a proteger os direitos humanos fundamentais e desenvolvemos soluções que garantem às pessoas um local seguro para chamar de lar, onde podem construir um futuro melhor. Também trabalhamos para garantir que as pessoas apátridas tenham uma nacionalidade.

O ACNUR está tomando medidas para ajudar a responder à emergência de saúde pública de COVID-19 e impedir uma maior disseminação do vírus. Trabalhando em conjunto com os governos, o ACNUR garante que os refugiados sejam incluídos nos planos nacionais de resposta à saúde e estejam bem informados sobre como impedir a propagação de COVID-19, tenham acesso a sabão e água limpa e continuem a receber ajuda e assistência de que tanto eles precisam.