ACNUR pede apoio para Beirute após explosão devastadora

Este é um resumo do que foi dito pelo porta-voz do ACNUR Charlie Yaxley – a quem o texto citado pode ser atribuído – no briefing para imprensa de hoje, no Palácio das Nações em Genebra

Homem carrega uma criança ferida após grande explosão no porto de Beirute, Líbano  © Ritzau Scanpix 

O ACNUR, Agência da ONU para Refugiados, e outros parceiros humanitários no Líbano estão acelerando seus esforços para apoiar a resposta liderada pelo governo após a explosão mortal e devastadora que arrasou Beirute nesta terça-feira, 4 de agosto.

Dado o impacto da grande explosão, tememos que as vítimas e feridos também possam incluir refugiados que vivem em Beirute. Algumas das áreas severamente afetadas pela poderosa explosão incluíram bairros que acolheram refugiados. Enquanto continuamos a avaliar a situação, recebemos relatos iniciais, porém não confirmados, de várias mortes entre os refugiados em Beirute. Trabalhamos com as equipes de resgate e outros trabalhadores humanitários para ajudar na identificação e apoio às famílias em luto.

Todo o pessoal do ACNUR foi contabilizado.

Nossos esforços humanitários imediatos estão concentrados em três áreas-chave: abrigo, saúde e proteção.

Centenas de milhares de pessoas tiveram suas casas total ou parcialmente danificadas durante a explosão. A necessidade de abrigo é enorme. O ACNUR está disponibilizando seus estoques no país de kits de abrigo, lonas, tendas e dezenas de milhares de outros itens centrais de emergência, incluindo cobertores e colchões para distribuição e uso imediato.

A resposta contínua do ACNUR à COVID-19 em matéria de saúde segue nesta última emergência. Uma primeira fase de expansão da capacidade de leitos hospitalares e de UTI, inclusive com suprimentos e equipamentos médicos, ventiladores e leitos para pacientes, foi concluída na semana passada. Uma segunda fase está sendo acelerada em função da saturação dos hospitais. Este apoio ajudará a diminuir a pressão sobre os hospitais, atualmente sobrecarregados, e permitirá que mais pacientes sejam tratados imediatamente. Estas capacidades adicionais estão disponíveis para todos aqueles que precisam.

A proteção é outra área crítica de intervenção na atual resposta a emergência, particularmente a saúde mental e o apoio psicossocial. Os centros de recepção do ACNUR em todo o país, inclusive em Beirute, estão abertos para casos críticos/emergenciais, com todas as medidas de distanciamento social relacionadas à COVID-19. O centro de atendimento nacional, bem como as linhas telefônicas regionais em todo o país, foram totalmente equipados para responder às solicitações de assistência.

A explosão devastadora se soma à já grave crise econômica que havia empurrado muitos libaneses e refugiados para a pobreza, agravada ainda mais pela pandemia da COVID-19. O ACNUR pede que a comunidade internacional se mantenha ao lado do Líbano, mostre solidariedade e dê apoio oportuno e significativo ao Líbano e ao povo libanês, que têm generosamente acolhido refugiados.

Para mais informações sobre esse assunto, favor entrar em contato: