“Mais do que nunca precisamos proteger a população refugiada”

Dr. Sofia Mohammed Ahmed, oficial de Saúde Pública em Dadaab, conta sobre o impacto da pandemia de COVID-19 no campo de refugiados e compartilha suas esperanças para 2021

Dr. Sofia Mohamed Ahmed, oficial de saúde pública do ACNUR em Dadaab, Quênia © ACNUR/Eujin Byun

Como você descreveria 2020 em três palavras?
Eu descreveria 2020 como desafiador, assustador, mas, também, enriquecedor.

Em 2020, qual foi o momento mais difícil que você enfrentou trabalhando no campo?
O momento mais difícil que enfrentamos neste ano foi, é claro, perder vidas e, ao mesmo tempo, garantir a manutenção de serviços de saúde essenciais em meio ao medo, à ansiedade, à desinformação e aos estigmas em torno da pandemia de COVID-19.

2020 foi desafiador em muitos aspectos. Quais foram os principais aprendizados desse ano?
O que aprendemos deste ano foi que a COVID-19 realmente desmascarou a fragilidade de nossos sistemas de saúde e, por isso, a necessidade de mais investimentos e parcerias fortes para melhorar e manter resultados de saúde para as populações de refugiados.

Como você descreveria a situação atual das pessoas deslocadas?
A situação atual dos refugiados é de incerteza diante do avanço da pandemia, dos prolongados bloqueios de campos e, claro, uma piora da situação econômica.

Como você está se sentindo agora?
Ao mesmo tempo que estou preocupada com os refugiados, também estou esperançosa pelo futuro.

O que você gostaria de dizer para alguém que doou para ACNUR em 2020? Qual foi o impacto dessas contribuições?
O que eu gostaria de falar para os doadores do ACNUR este ano é que suas contribuições salvaram vidas.

Quais são os seus maiores medos para o ano que vem?
Meu medo para 2021 é se iremos ou não conseguir manter a resposta humanitária para a pandemia.

Quando você pensa sobre 2021, o que te dá esperança?
Fico esperançosa quando penso em programas antecipados de vacinação, espero que algum nível de normalidade de retorne para as nossas vidas.

Para o que você está animada em 2021?
Estou animada para a priorização dos refugiados nos programas de vacinação contra a COVID-19.

O que é mais importante do que nunca para doadores que apoiam o trabalho do ACNUR?
A vida dos refugiados importa e agora, mais do que nunca, existe uma grande necessidade de proteger e abrigar essa população vulnerável.


O ACNUR segue atuando no Brasil e no mundo para proteger refugiados, pessoas deslocadas e comunidades que os acolhem do novo coronavírus.

Faça uma DOAÇÃO AGORA para apoiar os nossos esforços. Você pode salvar vidas!

DOAR AGORA