5 fatos sobre crianças refugiadas que vão te emocionar

Milhões de crianças tiveram que deixar para trás seu lar, sua família e seus sonhos. 

Sabemos que as crianças são incrivelmente resilientes. Com apoio, elas podem aprender, brincar e explorar suas habilidades, lidando com o trauma e encontrando forças para seguir em frente. Conheça 5 fatos sobre crianças refugiadas e veja como o ACNUR trabalha para protegê-las.


1. Metade dos refugiados do mundo são crianças

Mais de metade da população mundial de refugiados é constituída por crianças. © ACNUR/David Azia

 

Crianças com menos de 18 anos de idade representam 52% da população refugiada no mundo. Elas podem ter testemunhado ou experimentado violência e, no exílio, estão em risco de abuso, negligência, violência, exploração, tráfico ou recrutamento militar.

Muitas vão passar toda a infância longe de casa. Muitas vezes, sozinhas. Algumas só conheceram a vida como refugiadas. É de cortar o coração. Mas estamos ao lado delas em todos os passos de sua jornada até que possam reconstruir suas vidas em segurança. Elas precisam do nosso apoio.

2. Crianças desacompanhadas estão entre as mais vulneráveis

Crianças separadas de seus pais e famílias por causa de conflitos, deslocamento forçado ou desastres naturais estão entre as mais vulneráveis e correm risco ainda maior de sofrer exploração e abuso. © ACNUR/Sebastian Rich

 

Dados indicam que existam cerca de 173.800 crianças desacompanhadas e separadas. Crianças separadas de seus pais e famílias por causa de conflitos, deslocamento forçado ou desastres naturais estão entre as mais vulneráveis e correm risco ainda maior de sofrer exploração e abuso.

É essencial que governos e agências coletem dados para identificar e ajudá-las. No entanto, apesar dos esforços, os dados disponíveis atualmente não correspondem ao real número de crianças desacompanhadas e separadas que buscam refúgio.

O maior número de crianças refugiadas e solicitantes de refúgio desacompanhadas e separadas foi relatado na Etiópia com 43.300 crianças, representando 9% de toda a população infantil de refugiados de lá. Elas precisam da nossa proteção.

3. Quatro milhões de crianças refugiadas estão fora da escola

Nur, de 11 anos, frequenta uma escola financiada pelo ACNUR no campo de refugiados de Kutupalong, em Bangladesh. © ACNUR/Roger Arnold

 

Existem hoje quatro milhões de crianças refugiadas fora da escola. Isso é mais da metade dos 7,4 milhões de crianças refugiadas em idade escolar sob o mandato do ACNUR.

Em 2017, 61% das crianças refugiadas estavam matriculadas na escola primária, em comparação com um índice de 92% no mundo. No nível secundário, o número era de 23%, comparado a uma taxa global de 84%.

Isso significa que menos de um quarto dos refugiados do mundo chega ao ensino secundário e apenas 1% chega ao ensino superior.

Comparar a situação de crianças e jovens refugiados com a de outras crianças dá a dimensão da lacuna existente entre os dois – e de como essa lacuna se transforma em um abismo à medida que envelhecem. Elas precisam da nossa ajuda.

4. A maioria das crianças refugiadas vêm do Sudão do Sul

A maioria das crianças refugiadas vêm do Sudão do Sul, país onde as elas representam dois terços da população refugiada. © ACNUR/ Petterik Wiggers

 

A maioria das crianças refugiadas vêm do Sudão do Sul, país onde as crianças representam dois terços da população refugiada.

O conflito em curso no país mais jovem do mundo forçou cerca de 2,4 milhões de pessoas a se tornarem refugiados, enquanto outros dois milhões são deslocados internos.

A maioria dos refugiados são mulheres e crianças, muitos fogem pela fronteira, muitas vezes chegam fracos e desnutridos a campos de refugiados e centros de transferência. Elas precisam da nossa solidariedade.

5. No mundo, 1 a cada 80 crianças vive em deslocamento forçado[1]

Uma menina refugiada somali brinca no espaço amigável da criança no acampamento de Kebribeyah. © ACNUR/ Diana Diaz

 

Em situações de crise e deslocamento, crianças, adolescentes e jovens estão sob o risco de várias formas de abuso, separação de seus responsáveis, negligência, violência, exploração, tráfico ou recrutamento militar. Elas precisam que você se importe.

O ACNUR está empenhado em assegurar que crianças, adolescentes e jovens sejam protegidos e que seus direitos sejam mantidos por meio de apoio psicossocial e programas direcionados para atender suas necessidades específicas de proteção e desenvolvimento. Trabalhamos para ajudar crianças refugiadas a recomeçarem suas vidas. Mas não podemos fazer isso sozinhos. Faça uma doação especial e dê a essas crianças a esperança de um futuro melhor.

 

 

[1] Segundo dados do relatório A Call to Action: Protecting children on the move starts with better data (UNICEF, 2018)  https://data.unicef.org/resources/call-action-protecting-children-move-starts-better-data/