Afeganistão

Metade da população do Afeganistão sofre de fome aguda. Cerca de 3,5 milhões de pessoas estão deslocadas devido ao conflito e muitas crianças estão fora da escola. O sistema de saúde está em colapso, os direitos fundamentais de mulheres e meninas estão ameaçados, agricultores e pastores estão lutando em meio à crise climática e a economia está em queda livre.

O conflito diminuiu, mas a violência, o medo e a privação continuam a deslocar os afegãos através das fronteiras, principalmente rumo ao Irã e Paquistão.

 

A resposta humanitária do ACNUR no Afeganistão continua

A situação humanitária no Afeganistão continua sendo desafiadora em todo o país, com mais da metade da população dependente de assistência. Isso inclui diversas pessoas deslocadas, que muitas vezes vivem em assentamentos improvisados ​​sob difíceis condições. Em resposta à situação no país, o ACNUR alcançou mais de 600.000 pessoas deslocadas em quase todas as províncias com ajuda e assistência essenciais desde o início de 2022. Além disso, cerca de 2,6 milhões de pessoas também se beneficiaram dos centros de saúde, escolas, sistemas de água e outras infraestruturas que o ACNUR apoiou.

 

O que o ACNUR tem feito para ajudar?

Assistência emergencial prestada pelo ACNUR em 2022:

  • 2,8 milhões de pessoas receberam apoio do ACNUR
  • Atuação em 31 das 34 províncias do país
  • 389.000 pessoas receberam auxílio em dinheiro
  • 230.100 pessoas foram beneficiadas por meio de doações de itens e outras assistências individuais
  • 2,2 milhões de pessoas foram beneficiadas por meio de intervenções comunitárias
  • Proteção e Assistência à População Afegã no Brasil (English version)

Como ajudar?

O trabalho do ACNUR de proteção às pessoas refugiadas é mantido por contribuições voluntárias de países e por doações de empresas e pessoas físicas. No Brasil, é possível contribuir com qualquer valor pelo site doar.acnur.org/afeganistao. As doações são fundamentais para ampliar o alcance e o impacto dos programas do ACNUR na vida da população afegã em necessidade de proteção.

DOAR AGORA

 

Conteúdos Audiovisuais

O ACNUR pede aos países vizinhos do Afeganistão que mantenham suas fronteiras abertas para um potencial fluxo de pessoas que requerem proteção internacional.

O ACNUR saúda os esforços de vários estados para proteger cidadãos afegãos em risco por meio de programas bilaterais de evacuação. Entretanto, esses programas não substituem a necessidade de uma resposta humanitária internacional urgente e mais ampla.

Aqui você encontra depoimentos de porta-vozes do ACNUR sobre o contexto do Afeganistão, entrevista com Federico Martinez-Monge, representante interino do ACNUR no Brasil, para a revista Piauí e um áudio gravado pelo ACNUR do refugiado afegão Jabir, que vive em São Paulo desde 2014 e relata a situação de seus familiares em Cabul.