Declaração do ACNUR sobre o reassentamento da saudita Rahaf Al-Qunun no Canadá

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), cumprimenta a chegada tão esperada de Rahf Mahammed al-Qunun no Canadá, a decisão do governo canadense em lhe conceder proteção internacional e uma solução a longo prazo por meio do reassentamento.

Rahaf Mohammed Al-qunun no prédio da ONU em Bangkok, antes de partir para o aeroporto. © ACNUR / Khaled Ibrahim

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), cumprimenta a chegada tão esperada de Rahf Mahammed al-Qunun no Canadá, a decisão do governo canadense em lhe conceder proteção internacional e uma solução a longo prazo por meio do reassentamento.

As rápidas ações do governo da Tailândia na semana passada ao garantir refúgio temporário e facilitar a determinação do status de refugiado pelo ACNUR, bem como o reassentamento de emergência e a organização da viagem de Al-Qunun pelo governo do Canadá foram fundamentais para a resolução bem sucedida deste caso. Al-Qunun deixou a Tailândia a caminho do Canadá no dia 11 de janeiro.

“A situação da Sr. al-Qunun chamou a atenção do mundo nos últimos dias, ao trazer um pequeno vislumbre da situação precária de milhões de refugiados no mundo todo”, disse o Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados, Filippo Grandi. “A proteção dos refugiados está frequentemente sob ameaça e nem sempre pode ser assegurada, mas neste caso prevaleceu o direito internacional e os valores primordiais da humanidade”. Com os complexos sentimentos e atitudes políticas em relação aos refugiados em alguns países nos últimos anos, o reassentamento – o mecanismo pelo qual Al-Qunun foi aceita pelo Canadá – está apenas disponível para uma pequena fração dos 25,4 milhões de refugiados no mundo, normalmente para aqueles em maior risco, como mulheres. O caso de al-Qunun foi tratado como uma “emergência” à luz da urgência de sua situação.

 

Este comunicado de imprensa está disponível aqui.