US$ 1,44 bilhão são necessários para apoiar refugiados e migrantes da Venezuela em meio à COVID-19

Comunicado de imprensa conjunto ACNUR-OIM

A família Díaz, venezuelana, encontrou segurança no Chile e recebu ajuda para se preparar para o inverno do hemisfério sul, maio de 2020. © ACNUR/Hugo Fuentes

Genebra, 10 de dezembro de 2020 – Hoje, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM) lançam um plano regional de US$ 1,44 bilhão para responder às necessidades crescentes de refugiados e migrantes da Venezuela e das comunidades que os acolhem em 17 países da América Latina e do Caribe.

Existem aproximadamente 5,4 milhões de refugiados e migrantes da Venezuela em todo o mundo, a grande maioria acolhida por países da América Latina e do Caribe. A pandemia de COVID-19 tem prejudicado perigosamente as capacidades nacionais e locais em toda a região. Muitos refugiados e migrantes e suas comunidades de acolhida agora enfrentam diversos novos desafios que complicam suas condições já precárias.

Isolamento social, perda de meios de subsistência e empobrecimento estão forçando muitos a se tornarem cada vez mais dependentes da assistência humanitária de emergência para suas necessidades de saúde, abrigo, alimentação, proteção e educação. O impacto da pandemia também está resultando em um aumento dramático da violência de gênero e das necessidades de saúde mental, insegurança alimentar, desnutrição e incidentes de estigmatização.

As taxas crescentes de despejos também estão deixando muitos desabrigados e dependentes de acomodações temporárias fornecidas por organizações humanitárias.

Para refugiados e migrantes em situação irregular, a luta pelo acesso aos direitos básicos é ainda mais intensa.

O Plano de Resposta para Refugiados e Migrantes (RMRP, em inglês) 2021 está sendo lançado hoje para atender a essas necessidades que não param de crescer.

“Medidas de bloqueio prolongadas, mas necessárias, e restrições de mobilidade tiveram um impacto prejudicial sobre a capacidade dos refugiados e migrantes de manter a geração de renda e acesso a bens e serviços básicos. Muitos perderam seus meios de subsistência e, ao mesmo tempo, não são incluídos sistematicamente nas redes de segurança social estabelecidas para as populações locais ”, disse Eduardo Stein, Representante Especial Conjunto do ACNUR e da OIM para Refugiados e Migrantes da Venezuela.

Esta terrível situação levou algumas pessoas a considerarem retornar à Venezuela, muitas vezes em condições inseguras, levantando preocupações adicionais de proteção e saúde. Ao mesmo tempo, o número de venezuelanos que continuam deixando seu país também aumentou nas últimas semanas, à medida que os bloqueios diminuem e as condições continuam a piorar.

Como as fronteiras permanecem fechadas, esses movimentos ocorrem principalmente por meio de passagens irregulares de fronteira, expondo refugiados e migrantes a perigos e grandes riscos de abuso físico e sexual, discriminação, bem como exploração e tráfico.

Apesar dos desafios, tem havido exemplos encorajadores em toda a região dos países anfitriões, trabalhando para garantir a inclusão de refugiados e migrantes nas respostas nacionais à pandemia, em pé de igualdade com seus cidadãos.

Refugiados e migrantes também estão apoiando as respostas, trabalhando na linha de frente como profissionais de saúde ou disseminando informações em suas comunidades.

“O plano de resposta anunciado hoje requer o compromisso contínuo e crescente da comunidade internacional e do setor privado para atender a esta crise. Refugiados e migrantes da Venezuela e seus anfitriões precisam de nosso apoio coletivo mais do que nunca – tanto em termos de ajuda humanitária e salvamento urgente, mas também de assistência ao desenvolvimento para apoiar as comunidades locais e soluções de longo prazo ”, acrescentou Stein.

O RMRP 2021 pretende fortalecer ainda mais as respostas nacionais e regionais dos governos anfitriões, apoiando intervenções de saúde, abrigo, alimentos, água, saneamento e higiene, bem como o acesso à educação, proteção e integração onde assistência e conhecimentos específicos são necessários, ou em casos onde a própria capacidade de resposta dos governos estão sobrecarregadas.

O plano de resposta reúne 158 organizações envolvidas na resposta, incluindo agências das Nações Unidas, organizações não governamentais nacionais e internacionais, sociedade civil, organizações religiosas e o Movimento da Cruz Vermelha.

Para saber mais sobre o RMRP 2021, acesse:

http://rmrp.r4v.info/

Participe do evento de lançamento às 12h00 (horário de Brasília)

Inglês: https://app.eventovirtual.co/platformr4v/global-launch-ceremony—regional-refugee-and-migrant-response-plan-2021

Espanhol: https://app.eventovirtual.co/plataformar4v/ceremonia-de-lanzamiento-global—plan-regional-de-respuesta-a-refugiados-y-migrantes-de-venezuela-2021

Para mais informações:

No Panama

William Spindler, ACNUR ([email protected]) +507 6382 7815

Olga Sarrado, ACNUR ([email protected]) +507 6640 0185

Daniela Rovina, OIM ([email protected]) +507 6312-8294

Em Genebra

Shabia Mantoo, ACNUR ([email protected]) +41 79 337 7650

Angela Wells, OIM ([email protected]) +41 79 403 5365