Atletas refugiados com necessidades especiais farão histórica estreia nos Jogos Paralímpicos do Rio

Pela primeira vez, uma equipe de atletas com deficiência que foram forçados a abandonar suas casas vão competir no cenário mundial das Paralimpíadas Rio 2016.

Genebra, 26 de agosto de 2016 (ACNUR) – Atletas com deficiência têm disputado a glória nos Jogos Paralímpicos desde 1960. Agora, no Rio de Janeiro, pela primeira vez para-atletas que enfrentaram o desafio adicional de serem forçados a deixar seus países de origem vão competir pela Equipe de Atletas Paralímpicos Independentes.

Os competidores, que são originalmente do Irã e da Síria, vão seguir os passos da amplamente comemorada Equipe Olímpica de Atletas Refugiados. Apesar de não terem ganho nenhuma medalha, os 10 atletas refugiados fizeram história nos Jogos Olímpicos Rio 2016, reafirmando a coragem e a perseverança dos refugiados e dos deslocados internos do mundo todo – uma população que já ultrapassa 65 milhões.

Antes dos Jogos Paralímpicos, que terão início dia sete de setembro, abaixo há um breve descritivo sobre quem são os atletas deslocados que vão levar uma mensagem de esperança, não só para os milhões de pessoas deslocadas com deficiência em todo o mundo, mas para todas as pessoas, em todos os lugares.