5 dados sobre refugiados que você precisa conhecer

Estamos testemunhando os maiores níveis de deslocamento já registrados no mundo. Conheça os principais dados e veja como a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) está ajudando a reconstruir vidas.

“Estamos em um divisor de águas, onde o sucesso na gestão do deslocamento forçado requer uma abordagem nova e mais ampla para que os países e comunidades não tenham que lidar com isso sozinhos”.

Filippo Grandi

Alto Comissário da ONU para Refugiados

 

  1. Mais de 68,5 milhões de pessoas foram forçadas a deixar suas casas em todo o mundo por conta de conflitos, perseguições ou violência generalizada.

Venezuelanos atravessam a fronteira para chegar à Colômbia por uma “trocha”, trilhas enlameadas que atravessam o cerrado que cobre as margens do rio Tákira, que forma a fronteira entre a Venezuela e a Colômbia. © ACNUR / Vincent Tremeau

 

Dos 68,5 milhões de pessoas deslocadas a força; 25,4 milhões são refugiadas, 40 milhões estão deslocadas internamente em seus países e 3,1 milhões são solicitantes de asilo.

  1. O número de refugiados cresceu mais de 50% nos últimos 10 anos: já são 25,4 milhões em todo o mundo.

Uma família Rohingya recém-chegada de Mianmar, Mojibur Nur Alam, 19 anos, Nur Khatun 18, Sohil, 4, e Saima, 1, se abrigam no Centro de Trânsito do ACNUR no campo de Kutupalong. © ACNUR / Roger Arnold

 

Refugiados são pessoas como você que foram obrigadas a deixar suas casas, sem escolha, por conta de conflitos, perseguições ou violência generalizada. Na maioria das vezes, elas enfrentaram o impossível para sobreviver. Hoje, 85% estão em países em desenvolvimento, tentando reconstruir suas vidas.

  1. Mais de metade dos refugiados são crianças.

Uma turma de pré-escola fica sob as árvores na Escola Primária Juhudi no Campo de Refugiados de Nyarugusu, na província de Kigoma, oeste da Tanzânia.
© ACNUR / Georgina Goodwin

Crianças com menos de 18 anos de idade representam 52% da população refugiada no mundo. Elas podem ter testemunhado ou experimentado violência e, no exílio, estão em risco de abuso, negligência, violência, exploração, tráfico ou recrutamento militar.

Muitas vão passar toda a infância longe de casa. Muitas vezes, sozinhas. Algumas só conheceram a vida como refugiadas. É de partir o coração.

  1. 57% dos refugiados do mundo vêm apenas de três países: Síria, Afeganistão e Sudão do Sul.

Crianças deslocadas internamente brincam, ouvem histórias e assistem a desenhos animados em um espaço para crianças, criado por equipes móveis do ACNUR na vila de Tal Shair, no norte de Aleppo. © ACNUR / Antwan Chnkdji

 

O povo sírio continua a suportar o peso do guerra civil, e a Síria continua a ser o principal país de origem dos refugiados. No entanto, outros grandes deslocamentos ao longo do últimos cinco anos marcaram milhões de vidas, no Burundi, na República Centro-Africana, o RDC, Iraque, Mianmar, Sudão do Sul, Sudão, Ucrânia e Iêmen.

  1. Os três países que mais acolhem refugiados são a Turquia, o Paquistão e a Uganda. Juntos, eles já receberam mais de 6,3 milhões de pessoas.

A política progressista de refugiados de Uganda é única – permite que os refugiados tenham uma vida normal como os cidadãos ugandenses, incluindo liberdade de movimento, direito ao trabalho, acesso à educação e saúde e alocação de terras para construir casas e fazendas. © ACNUR

 

Muitos desses países já estão lidando com barreiras substanciais desenvolvimento sustentável, tornando particularmente difícil para eles mobilizar recursos suficientes para responder a grandes influxos de refugiados.

Por mais de meio século, o ACNUR tem ajudado milhões de pessoas a recomeçar suas vidas. Entre elas estão refugiados, retornados, pessoas apátridas, deslocados internos e requerentes de asilo. Nossa proteção, abrigo, saúde e educação têm sido cruciais, curando passados quebrados e construindo futuros mais brilhantes.